quinta-feira, 3 de dezembro de 2009



Brasil,
Chegando...






domingo, 29 de novembro de 2009

Essa letra de Chico é um gozo...

Na voz de Cassia Eller, fechou. Perfeito e Muito bom!!


domingo, 22 de novembro de 2009



"A alma não tem segredo que o comportamento não revele".

(Lao-Tsé)





Estou perdidamente emaranhada
em seus fios de delícias e doçuras.
Já não encontro o começo da meada,
não sei nem mesmo
se há uma ponta de saída,
ou se a loucura
vai num ritmo crescente
até subjugar a minha vida.
Não importa.
Quero seus nós de seda
cada vez mais cegos e apertados
a me costurar nas malhas e nos pêlos.
Enquanto você me amarra,
permanece atado
na própria trama redonda do novelo.

(Flora Figueiredo)


sexta-feira, 13 de novembro de 2009



"Nao me deixe fazer tanta questao,

de me expor , mostrar a minha solidao.

Nao me faca ouvir ladainhas,enredos,

delirantes mentiras.

Me deixe aqui nesse ponto.

Quero continuar minhas buscas,

nelas nem sempre vc está.

Estou aqui sem freios...

Numa velocidade brutal de vida...

Devaneios,sonhos,recordacoes...

Me deixe aqui.

Preciso por um instante estar literalmente ligada a nada...

Vento, vento, brisa,delírios....

As vezes um pouco de falta de sanidade , nos faz bem a alma.

Me deixe aqui."

(Mônica Rennée)

terça-feira, 3 de novembro de 2009



Outono-Herbst

As folhas caem a cada dia...
E com ela um pouco de mim também , retrai.
Minha estacao muda de forma metaforseante...
As folhas caem , trocam de forma espetacular.
Mas procuro os frutos da estacao passada,
onde ficaram?
E as flores?
Trocam tanto que misturo as minhas estacoes.
Chego na minha janela e literalmente as folhas caem e continuam seu ciclo,
uma nova estacao vai chegar.
Tudo é preparado cuidadosamente .
Reflito e sinto cada estacao.
Acompanho essa preparacao da natureza.
Minha natureza humana tenta aprender.
Preparar os caminhos
Abrir espaco.
A cada mudanca , cada estacao,
para cada estacao um aroma, cor e tempo(temperatura).
Para cada tempo sua história.
Para cada história , uma nova vida
(Mônica Rennée)

Quando eu cheguei tudo, tudo
Tudo estava virado
Apenas viro me viro
Mas eu mesma viro os olhinhos

Só entro no jogo porque
Estou mesmo depois
Depois de esgotar
O tempo regulamentar

De um lado o olho desaforo
Que diz meu nariz arrebitado
E não levo para casa, mas se você vem perto eu vou lá
Eu vou lá!

No canto do cisco
No canto do olho
A menina dança

E dentro da menina
A menina dança
E se você fecha o olho
A menina ainda dança
Dentro da menina
Ainda dança

Até o sol raiar
Até o sol raiar
Até dentro de você nascer

Nascer o que há!

Quando eu cheguei tudo, tudo
Tudo estava virado
Apenas viro me viro
Mas eu mesma viro os olhinhos.

(Menina Danca- Moraes Moreira)




segunda-feira, 19 de outubro de 2009




"A vida é como jogar uma bola na parede :

Se for jogada uma bola azul, ela voltará azul;
Se for jogada uma bola verde, ela voltará verde;
Se a bola for jogada fraca, ela voltará fraca;
Se a bola for jogada com força, ela voltará com força.
Por isso, nunca "jogue uma bola na vida"
de forma que você não esteja pronto a recebê-la..."

(Albert Stein)


Tem dias que eu e minha alma nos desencontramos,

nao combinamos ,debatemos.

Minha alma me faz esconder-se .

Nao quero ouvir e minha alma é clara ,nao cala.

Eu e minha alma muitas vezes precisamos nos perder ,

para em um futuro muito próximo , as vezes de horas,

nos encontrarmos.

E isso que me faz em uma vida ter muitas almas,

muitas trocas.

Esse é o impulso de vida, a escada que subo a cada dia no

tempo para me reencontrar,encontrar almas

perdidas em mim.

Porque a vida nao é encontro e sim reencontros...

Alma, vida,encontros reencontrados.,almas reconciliadas....

Nesse caminho eu vou...



(Mônica Rennée)

sábado, 17 de outubro de 2009



Pior do que a voz que cala,
é um silêncio que fala.
Imediatamente me veio à cabeça situações
em que o silêncio me disse verdades terríveis,
pois você sabe, o silêncio não é dado a amenidades.
Um telefone mudo. Um e-mail que não chega.
Um encontro onde nenhum dos dois abre a boca.

Silêncios que falam sobre desinteresse,
esquecimento, recusas.

Quantas coisas são ditas na quietude,
depois de uma discussão.
O perdão não vem, nem um beijo,
nem uma gargalhada
para acabar com o clima de tensão.

Só ele permanece imutável,
o silêncio, a ante-sala do fim.

É mil vezes preferível uma voz que diga coisas
que a gente não quer ouvir,
pois ao menos as palavras que são ditas
indicam uma tentativa de entendimento.

Cordas vocais em funcionamento
articulam argumentos,
expõem suas queixas, jogam limpo.
Já o silêncio arquiteta planos
que não são compartilhados.
Quando nada é dito, nada fica combinado.

Quantas vezes, numa discussão histérica,
ouvimos um dos dois gritar:
"Diz alguma coisa, mas não fica
aí parado me olhando!"

É o silêncio de um, mandando más notícias
para o desespero do outro.

É claro que há muitas situações
em que o silêncio é bem-vindo.
Para um cara que trabalha
com uma britadeira na rua,
o silêncio é um bálsamo.
Para a professora de uma creche,
o silêncio é um presente.
Para os seguranças de um show de rock,
o silêncio é um sonho.

Mesmo no amor,
quando a relação é sólida e madura,
o silêncio a dois não incomoda,
pois é o silêncio da paz.

O único silêncio que perturba,
é aquele que fala.

E fala alto.

É quando ninguém bate à nossa porta,
não há emails na caixa de entrada
não há recados na secretária eletrônica
e mesmo assim, você entende a mensagem."

(Martha Medeiros)









quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Lindo vídeo, música ,poema.

Canta Simone.Vale a pena conferir!!









Vc me deixa tonta,doida,


Vc chega e eu me desencontro de tudo e todos...


Que mágica é essa,que feitico é esse?


Eu adoro esse nossos desencontros,


acaba sempre com um gosto de quero mais,


nunca tem fim....


Esse vai e vem interminável...


Como revivo coisas boas com vc.


Deixa como está, porque mudar,


o que nao se muda.


Deixa estar,ficar...


Deixa....


(Mônica Rennée)


Meu pensamentos estao soltos no ar,



livres de tempo,distância ou padroes.



Minhas idéias estao livres no ar,


soltas num tempo que eu faco as horas.


Meu corpo está livre no tempo,


no espaco,no desejo,nos sonhos.


Ser livre muitas vezes nos prende


mas liberta a alma.


A alma é livre,a alma é solta.


Ela pode voar,pousar,estar e muitas vezes,

sonhar.


Livre,vento,sonhos,lugar.


Somo feitos disso tudo, pq nao deixar ser.


( Mônica Rennée)






quinta-feira, 17 de setembro de 2009




A gente tem que morrer tantas vezes durante a vida
Que eu já tô ficando craque em ressurreição.
Bobeou eu tô morrendo
Na minha extrema pulsão
Na minha extrema-unção
Na minha extrema menção
de acordar viva todo dia
Há dores que sinceramente eu não resolvo
sinceramente sucumbo
Há nós que não dissolvo
e me torno moribundo de doer daquele corte
do haver sangramento e forte
que vem no mesmo malote das coisas queridas
Vem dentro dos amores
dentro das perdas de coisas antes possuídas
dentro das alegrias havidas

Há porradas que não tem saída
há um monte de "não era isso que eu queria"
Outro dia, acabei de morrer
depois de uma crise sobre o existencialismo
3º mundo, ideologia e inflação...
E quando penso que não
me vejo ressurgida no banheiro
feito punheteiro de chuveiro
Sem cor, sem fala
nem informática nem cabala
eu era uma espécie de Lázara
poeta ressucitada
passaporte sem mala
com destino de nada!

A gente tem que morrer tantas vezes durante a vida
ensaiar mil vezes a séria despedida
a morte real do gastamento do corpo
a coisa mal resolvida
daquela morte florida
cheia de pêsames nos ombros dos parentes chorosos
cheio do sorriso culpado dos inimigos invejosos
que já to ficando especialista em renascimento

Hoje, praticamente, eu morro quando quero:
às vezes só porque não foi um bom desfecho
ou porque eu não concordo
Ou uma bela puxada no tapete
ou porque eu mesma me enrolo
Não dá outra: tiro o chinelo...
E dou uma morrida!
Não atendo telefone, campainha...
Fico aí camisolenta em estado de éter
nem zangada, nem histérica, nem puta da vida!
Tô nocauteada, tô morrida!

Morte cotidiana é boa porque além de ser uma pausa
não tem aquela ansiedade para entrar em cena
É uma espécie de venda
uma espécie de encomenda que a gente faz
pra ter depois ter um produto com maior resistência
onde a gente se recolhe (e quem não assume nega)
e fica feito a justiça: cega
Depois acorda bela
corta os cabelos
muda a maquiagem
reinventa modelos
reencontra os amigos que fazem a velha e merecida
pergunta ao teu eu: "Onde cê tava? Tava sumida, morreu?"
E a gente com aquela cara de fantasma moderno,
de expersona falida:
- Não, tava só deprimida.

(Elisa Lucinda)



domingo, 13 de setembro de 2009




Sem vc , me sinto fora do ritmo,

fora do corpo,do tom.

Sem vc meu mundo fica pequeno,

sem cor,

Me forco em ter vc, sonhos...

Nao quero que seja em vao...

Falta vc no meu corpo, na minha cama.

Sem vc nao existe prazer...

nao ter vc , me forca pensar...

Acreditar que sem vc nao é possível...

Sem vc , nao tem de ser...

Sem vc.

(Mônica Rennée)




" Talvez seja preciso envelhecer para se alcancar certas coisas"

(Rainer Maria Rilke)poeta tcheco
.


quarta-feira, 9 de setembro de 2009


"O Mundo está nas mãos daqueles

que tem coragem de sonhar,

e correr o risco

de viver seus

SONHOS"

(Paulo Coelho)


sábado, 29 de agosto de 2009




"Ah vem cá meu menino,


Pinta e borda comigo


Me revista, me excita


Me deixa mais bonita


Ah vem cá meu menino,


Do jeito que imagino


Me tira essa canseira

Me tira essas olheiras


De esperar tanto tempo


A mudança dos ventos


Prá eu me sentir com forças


Prá eu me sentir mais moça


Ah! vem cá meu menino,


Pinta e borda comigo

Me revista, me excita,

M
e deixa mais bonita

A
h! vem cá meu menino,

Do jeito que imagino,


Me tira essa vergonha


Me mostre, me exponha


Me tire uns vinte anos


Deixa eu causar inveja

Deixa eu causar remorsos


Nos meus, nos seus, nos nossos."



( Ivan Lins)







Quero uma primeira vez outra vez. Um primeiro beijo em
alguém que ainda não

conheço, uma primeira caminhada
por uma nova cidade, uma primeira estréia

em algo que nunca
fiz, quero seguir desfazendo as virgindades que ainda

carrego, quero ter sensações inéditas até o fim
dos meus dias. Quero ventilação,

não morrer um pouquinho a cada dia
sufocada em obrigações e em exigências de

ser a
melhor mãe do mundo a melhor esposa do mundo, a melhor qualquer coisa.

Gostaria de me reconciliar com meus defeitos e fraquejas, arejar minha

biografia, deixar que vazem algumas idéias minhas que não são muito

abençoáveis.
Queria não me sentir tão responsável sobre o que acontece ao meu

redor. Compreender e aceitar que não tenho controle nenhum sobre as emoções

dos outros, sobre suas escolhas,
sobre as coisas que dão errado e também sobre

as que dão certo. Me permitir ser um pouco insignificante.
E na minha

insignificância, poder acordar um dia mais tarde sem dar explicação, conversar

com estranhos, me divertir fazendo coisas que nunca imaginei, deixar de ser tão

misteriosa pra mim mesma, me conectar com as minhas outras possibilidades de

existir. O que eu quero mais? Me escutar e obedecer o meu lado mais

transgressor, menos comportadinho, menos refém de reuniões

familiares,marido,filhos, bolos de aniversário e despertadores nasegunda-feira

de manhã. E também quero mais tempo livre. E mais abraços"...




( Martha Medeiros)



terça-feira, 25 de agosto de 2009





"Vocês riem de mim por eu ser diferente, e eu rio de vocês por serem todos iguais"


(Bob Marley)





segunda-feira, 24 de agosto de 2009


Gosto quando te calas porque estás como ausente,e me ouves de longe, minha voz não te toca.Parece que os olhos tivessem de ti voado e parece que um beijo te fechara a boca.

Como todas as coisas estão cheias da minha alma emerge das coisas, cheia da minha alma.Borboleta de sonho, pareces com minha alma,e te pareces com a palavra melancolia.

Gosto de ti quando calas e estás como distante.E estás como que te queixando, borboleta em arrulho.E me ouves de longe, e a minha voz não te alcança:Deixa-me que me cale com o silêncio teu.

Deixa-me que te fale também com o teu silêncio claro como uma lâmpada, simples como um anel.És como a noite, calada e constelada.Teu silêncio é de estrela, tão longinqüo e singelo.

Gosto de ti quando calas porque estás como ausente.Distante e dolorosa como se tivesses morrido.Uma palavra então, um sorriso bastam.E eu estou alegre, alegre de que não seja verdade.

(Pablo Neruda)



sexta-feira, 21 de agosto de 2009


"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas....

que já tem a forma do nosso corpo....


e esquecer os nossos caminhos que sempre nos levam a nós mesmos....

lugares...é o tempo da travessia....


e se nao ousarmos faze-la...

teremos ficado para sempre ....
á margem de nós mesmos.

(Fernando Pessoa)






Nao fuja do tempo,


encontre-se com ele.

bata de frente.

Faca perguntas, nao fuja.

Se esclareca no tempo.

Nao fuja do seu tempo,

ele passa,

corre.

O tempo sempre tem pressa,

nem sempre conseguimos o acompanhar,

e por isso fugimos.

Fugimos de nosso tempo,

fugimos de um tempo que se foi,

preso na parede, empoeirado.

Nao fuja do tempo o acompanhe,

bata um papo com ele, sente junto,

divida uma cerveja e o faca amigo.

O tempo nem sempre é quem imaginamos,

nem quem queremos que ele seja.

Nao adianta fugir,passar,correr.

A solucao é deixar o tempo ser.

( Mônica Rennée)



segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Meus olhos te viram triste
Olhando pro infinito
Tentando ouvir o som do próprio grito
E o louco que ainda me resta
Só quis te levar pra festa
Você me amou de um jeito tão aflito

Que eu queria poder te dizer sem palavras
Eu queria poder te cantar sem canções
Eu queria viver morrendo em sua teia
Seu sangue correndo em minha veia
Seu cheiro morando em meus pulmões

Cada dia que passo sem sua presença
Sou um presidiário cumprindo sentença
Sou um velho diário perdido na areia
Esperando que você me leia
Sou pista vazia esperando aviões

Sou o lamento no canto da sereia
Esperando o naufrágio das embarcações.

( Vander Lee)


sexta-feira, 7 de agosto de 2009

domingo, 2 de agosto de 2009



Tem dias que minha alma foge,explode.


Tem dias que minha alma cala,

se esconde.

Minha alma corta lebrancas,espalha,

me trai.

Minha alma corre com o tempo,horas.

Tem dias que minha alma quer ir ,

nao me leva,parte.

Minha alma grita....

me tira o ar,a paz.

Tem dias que minha alma se esconde de mim.

Tem dias ... horas ...

Minha alma nao me toca,

Como calar, esconder, se alma diz o contrário.

Minha alma quer seguir....

Minha alma.

( Mônica Renneé)

quarta-feira, 29 de julho de 2009



Um bom Fado sempre é necessário na vida...

Nos traz o tempo, desnuda a saudade,

me faz lembrar e relembrar,nunca esquecer.

Canta o amor de uma forma única,

língua do coracao,

interpreta gestos, gostos...

Ah o Fado ! Só a Fado pode nos levar a lugares nunca visto,alcancar no vôo da

imaginacao a plenitude de ser e estar ....

Fado nos envolve,nos acolhe,muitas vezes nos socorre.


(Mônica Rennée)



sexta-feira, 24 de julho de 2009


De quem eu falo...

De quem eu falo me conhece,reconhece

entende quando chego, entende

quando quero.

De quem eu falo eu nao explico, me explico,

ele sabe e nao repito.

De quem eu falo chega na hora certa,

nao atrasa...

Chega quieto e me faz calar.

De quem eu falo lê meus pensamentos,

mesmo sem nenhuma linha escrita.

Me lê,me entende,me decifra.

Me abusa , me faz sorrir.

De quem eu falo me muda ou nao.

Nunca me deixa,fica.

Nunca fica quieto,me faz pulsar.

Esse alguém que repito,me repito...

Me deixo levar,me quero deixar...

Ah ... esse alguém ....

Me deixa doida , me deixa ser.

Ah esse alguém....me sufucou,

me trouxe o ar.

Te tenho sem ter, te quero sem ter..

Alguém....amor....sempre,

saudade...

Esse alguém.

(Mônica Rennée)



terça-feira, 14 de julho de 2009




Estou fora , dentro ,


estou junto.

Estou lendo, vendo

te escrevendo.

Estou olhando , cheirando

te tocando. Estou chegando, indo...

estou perto.

Dentro,fora, vendo, tocando, te sentindo.


Estou te vendo e te reescrevendo ...

Meu pensamento te chama, clama.

Vc é o meu conflito, sinto ou deixo....

ir....ou ir....

Dentro de vc e fora de mim.

( Mônica Rennée)



Fagner - Conflito



"Porque música não pode ser apenas um barulho que acontece fora de você. Música é uma confirmação de quem você é, música é um encontro."


(Martha Medeiros)



Vanessa da Mata - Música

sexta-feira, 10 de julho de 2009




Já não procuro a palavra exata
que me pudesse explicar:
ando pelos contornos onde todos os significados
,
são sutís,
são mortais.

Não busco prender o momento belo:
quero vivê-lo sempre mais
com a intensidade que exige a vida,

com o desgarramento do salto e da fulguração.
E me corto ao meio e me solto em mim,duplo coração:
a que vive,

a que narra,
a que se debate
e a que voa-
na loucura que redimeda lucidez .

(Lya Luft
)


Chico Buarque e Boca Livre - Feito Mistério

segunda-feira, 6 de julho de 2009




Se hoje me vejo em frente com o olhar diferente,

digo muita coisa mudou,mas

muita coisa se perdeu.

Mas sigo o meu caminho ,

sou andarilho da vida,

passos dou por isso,

tempo, quem faz sou eu.

Se meu olhar mudou, digo,

meu caminhar tb,

minha direcao talvez.

Mas sigo em frente , sigo olhando

sempre em frente....

Olho a vida com novos olhos,

olhos esses com novos passos,

olho em frente,sigo.

Nunca paro, o tempo é meu.

Nunca volto ,o olhar é de quem quizer.

Nudo e desnudo esse ser mutante,

Mas sigo,olho e sigo.

Meu caminho é constante.

( Mônica Rennée)


Deborah Blando - A LUZ QUE ACENDE O OLHAR

domingo, 28 de junho de 2009



" No fim tu hás de ver que as coisas mais leves são as únicas
que o vento não conseguiu levar:
um estribilho antigo
um carinho no momento preciso
o folhear de um livro de poemas
o cheiro que tinha um dia o próprio vento..."

(Mário Quintana)
Cassia Eller - Palavras ao vento



quarta-feira, 24 de junho de 2009



Andarei nos teus olhos
Debaixo dos teus olhos
Além dos teus olhos andarei
Somente por que te amo

Andarei no teu corpo
Por cima do teu corpo
Dentro do teu corpo andarei
Somente por que te amo

Andarei na tua boca desvairada
Andarei na tua nuca perfumada
Andarei contigo de mãos dadas
Somente por que te amo

( Sueli Costa)

domingo, 21 de junho de 2009



" Se eu soubesse antes como é importante deixar marcas no rodapé do mundo,teria

ido mil vezes deixar minhas digitais"


(Mônica Rennée)


Baleiro, Moska, Chico Cesar e Lenine - o mundo

terça-feira, 16 de junho de 2009



Hoje,

quero me sentir plena,


livre, sem amarras.

Sem cordas ,livre.

Para ir e vir.

Para ser e ter.

Livre com gosto de asas,

voar sem tempo de parar.

Voar no tempo ,sem tempo para contar.

Voar, ser ,ter....

Livre.

Tempo.

Espaco.

Gosto de vento,tempo sem ter que esperar.

Sou livre e eu mesma crio minhas asas.

Alcanco terras distantes, coracoes estrangeiros.

Vôo,livre.

Sempre ,

livre.

(Mônica Rennée)


Roupa Nova - Vôo Livre

sexta-feira, 12 de junho de 2009


"Quero, um dia, dizer às pessoas que nada foi em vão...
Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades e às pessoas, que a vida é bela sim e que eu sempre dei o melhor de mim...
e que valeu a pena."

(Mário Quintana)

Gal Costa - O Amor


quarta-feira, 10 de junho de 2009


Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir-se uma parte
na outra parte
- que é uma questão
de vida ou morte -
será arte?

(Poema de Ferreira Goulart musicado por Fagner)

Chico Buarque e Fagner - Traduzir-se





Tem gente que tem cheiro de passarinho
quando canta.
De sol quando acorda.
De flor quando ri.
Ao lado delas, a gente se sente
no balanço de uma rede
que dança gostoso numa tarde grande,
sem relógio e sem agenda.
Ao lado delas, a gente se sente
comendo pipoca na praça.
Lambuzando o queixo de
sorvete.
Melando os dedos com algodão doce
da cor mais doce que tem pra
escolher.
O tempo é outro.
E a vida fica com a cara que ela tem de verdade,
mas que a gente desaprende de ver.
Tem gente que tem cheiro de colo de Deus.
De banho de mar quando a água
é quente e o céu é azul.
Ao lado delas, a gente sabe
que os anjos existem e
que alguns são invisíveis.
Ao lado delas, a gente
se sente chegando em casa
e trocando o salto pelo chinelo.
Sonhando a maior tolice do mundo com o
gozo de quem não liga pra isso.
Ao lado delas, pode ser abril, mas parece
manhã de Natal do tempo em que
a gente acordava e encontrava o presente do
Papai Noel.
Tem gente que tem cheiro das estrelas
que Deus acendeu no céu e daquelas
que conseguimos acender na Terra.
Ao lado delas, a gente não acha que
o amor é possível, a gente tem certeza.
Ao lado delas, a gente se sente
visitando um lugar feito de alegria.
Recebendo um buquê de carinhos.
Abraçando um filhote de urso panda.
Tocando com os olhos os olhos da paz.
Ao lado delas, saboreamos a delícia
do toque suave que sua presença sopra
no nosso coração.

Tem gente que tem cheiro de cafuné sem pressa.
Do brinquedo que a gente não largava.
Do acalanto que o silêncio canta.
De passeio no jardim.
Ao lado delas, a gente percebe que
a sensualidade é um perfume
que vem de dentro e
que a atração que realmente nos move
não passa só pelo corpo.

Corre em outras veias.
Pulsa em outro lugar.
Ao lado delas, a gente lembra que no
instante em que rimos Deus está conosco,
juntinho ao nosso lado.
E a gente ri grande, que nem menino arteiro.

(Carlos Drummond de Andrade)

terça-feira, 9 de junho de 2009




Ele vai me possuindo
Não me possuindo
Num canto qualquer
É como as águas fluindo
Fluindo até o fim
É bem assim que ele me quer
Meu namorado
Meu namorado
Minha morada
É onde for morar você

Ele vai me iluminando
Não iluminando
Um atalho sequer
Sei que ele vai me guiando
Guiando de mansinho
Pro caminho que eu quiser
Meu namorado
Meu namorado
Minha morada é onde for morar você

Vejo meu bem com seus olhos
E é com meus olhos
Que o meu bem me vê

(Chico Buarque e Edu Lobo)


Simone - Meu Namorado

É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,
teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento
das horas ponha um frêmito em teus cabelos...
É preciso que a tua ausência trescale
sutilmente, no ar, a trevo machucado,
as folhas de alecrim desde há muito guardadas
não se sabe por quem nalgum móvel antigo...
Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela
e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu sentir
como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...
Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista
que nunca te pareces com o teu retrato...
E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te.

(Mario Quintana)

Guilherme Arantes - Blue Moon para sempre


Lí esse artigo há alguns anos atrás e adorei, resolví coloca-lo no meu blog.

Vale a pena ler:


TIMO: a chave da energia vital
Da jornalista e pesquisadora Sonia Hirsch


No meio do peito, bem atrás do osso onde a gente toca quando diz "eu", fica uma pequena glândula chamada timo. Seu nome em grego, thýmos, significa energia vital. Precisa dizer mais? Precisa, porque o timo continua sendo um ilustre desconhecido. Ele cresce quando estamos contentes, encolhe pela metade quando estressamos e mais ainda quando adoecemos.

Essa característica iludiu durante muito tempo a medicina, que só o conhecia através de autópsias e sempre o encontrava encolhidinho. Supunha-se que atrofiava e parava de trabalhar na adolescência, tanto que durante décadas os médicos americanos bombardeavam timos adultos perfeitamente saudáveis com megadoses de raios X achando que seu "tamanho anormal" poderia causar problemas.

Mais tarde a ciência demonstrou que, mesmo encolhendo após a infância, continua totalmente ativo. É um dos pilares do sistema imunológico, junto com as glândulas adrenais e a espinha dorsal, e está diretamente ligado aos sentidos, à consciência e à linguagem. Como uma central telefônica por onde passam todas as ligações, faz conexões para fora e para dentro. Se somos invadidos por micróbios ou toxinas, reage produzindo células de defesa na mesma hora.

Mas, também é muito sensível a imagens, cores, luzes, cheiros, sabores, gestos, toques, sons, palavras, pensamentos. Amor e ódio o afetam profundamente. Idéias negativas têm mais poder sobre ele do que vírus ou bactérias. Já que não existem em forma concreta, o timo fica tentando reagir e enfraquece, abrindo brechas para sintomas de baixa imunidade, como herpes. Em compensação, idéias positivas conseguem dele uma ativação geral em todos os poderes, lembrando a fé que remove montanhas.

O teste do pensamento é um teste simples pode demonstrar essa conexão. Feche os dedos polegar e indicador na posição de o.k, aperte com força e peça para alguém tentar abrí-los enquanto você pensa " estou feliz". Depois repita pensando "estou infeliz". A maioria das pessoas conserva a força nos dedos com a idéia feliz e enfraquece quando pensa infeliz. Substitua os pensamentos por uma bela sopa de legumes ou um lindo sorvete de chocolate para ver o que acontece...

Esse mesmo teste serve para lidar com situações bem mais complexas. Por exemplo, quando o médico precisa de um diagnóstico diferencial, seu paciente tem sintomas no fígado que tanto podem significar câncer quanto abcessos causados por amebas. Usando lâminas com amostras, ou mesmo representações gráficas de uma e outra hipótese, testa a força muscular do paciente quando em contato com elas e chega ao resultado. As reações são consideradas respostas do timo e o método, que tem sido demonstrado em congressos científicos ao redor do mundo, já é ensinado na Universidade de São Paulo (USP) a médicos acupunturistas.

O detalhe curioso é que o timo fica encostadinho no coração, que acaba ganhando todos os créditos em relação a sentimentos, emoções, decisões, jeito de falar, jeito de escutar, estado de espírito..." Fiquei com o coração apertadinho", por exemplo, revela uma situação real do timo, que só por reflexo envolve o coração.

O próprio chacra cardíaco, fonte energética de união e compaixão, tem mais a ver com o timo do que com o coração. E é nesse chacra que, segundo os ensinamentos budistas, se dá a passagem do estágio animal para o estágio humano.

"Lindo!", você pode estar pensando, "mas e daí?". Daí que, se você quiser, pode exercitar o timo para aumentar sua produção de bem estar e felicidade. Como? Pela manhã, ao levantar, ou à noite, antes de dormir:

a) Fique de pé, os joelhos levemente dobrados. A distância entre os pés deve ser a mesma dos ombros. Ponha o peso do corpo sobre os dedos e não sobre o calcanhar, e mantenha toda a musculatura bem relaxada.

b) Feche qualquer uma das mãos e comece a dar pancadinhas contínuas com os nós dos dedos no centro do peito, marcando o rítimo assim: uma forte, duas fracas.

Continue entre três e cinco minutos, respirando calmamente, enquanto observa a vibração produzida em toda a região torácica. O exercício estará atraindo sangue e energia para o timo, fazendo-o crescer em vitalidade e beneficiando também pulmões, coração, brônquios e garganta. Ou seja, enchendo o peito de algo que já era seu e só estava esperando um olhar de reconhecimento para se transformar em coragem, calma, nutrição emocional, abraço. Ótimo, íntimo, cheio de estímulo!

Bendito Timo!

(Da jornalista e pesquisadora Sonia Hirsch.)